Resenha: Morra por Mim - Amy Plum

| 0 comentários

MORRA POR MIM

Série: Revenants, Livro 1

Autora: Amy Plum | Editora: Farol Literário

Na Cidade das Luzes, dois amantes lutam contra um destino que insiste em separá-los de novo e de novo, pela eternidade.
Quando os pais de Kate Mercier morrem em um trágico acidente de carro, ela deixa sua vida ― e memórias ― para trás para viver com seus avós em Paris. Para Kate, a única maneira de sobreviver a dor é escapando para o mundo dos livros e da arte parisiense. Até que ela conhece Vincent.
Misterioso, charmoso e devastadoramente bonito, Vincent ameaça derreter o gelo ao redor do guardado coração de Kate com apenas um sorriso. Quando ela começa a se apaixonar por Vincent, Kate descobre que ele é um revenant ― um ser morto-vivo cujo destino o obriga a se sacrificar repetidamente para salvar a vida dos outros. Vincent e aqueles como ele estão ligados a uma guerra centenária contra um grupo de revenants do mal que existe apenas para matar e trair. Kate logo percebe que se ela seguir seu coração, ela poderá nunca mais estar segura novamente.
=== Resenha ===

Esse novo “universo” criado pela Amy realmente me surpreendeu, foi muito bem elaborado, mesmo que ela tenha escorregado algumas vezes tornando algumas atitudes de certos personagens mais doce do que realmente deveria ser por causa de sua personalidade, mas tirando isto, realmente amei as novas “criaturas” criadas por ela. Nunca pensei que hoje em dia, em meio a vampiros e lobisomens, alguém teria a mente brilhante para inventar um novo ser.
O ambiente é perfeitamente descrito, foi muito bem pesquisado, pelo menos foi isto que me passou já que nunca estive em Paris então não posso lhes dizer se o que ela descreve é realmente correto, mas o que importa é que eu consegui imaginar, consegui me ver no meio da maravilhosa Cidade Luz e isto me encheu de vontade de passar algum tempo caminhando pelas românticas ruas parisienses.

- # -

Kate tem apenas 16 anos e acaba de perder seus pais em um acidente de carro, sua irmã Georgia então toma o posicionamento de irmã mais velha decidindo se mudar de sua cidade natal New York para Paris onde os avós delas vivem. Kate passa por uma época turbulenta carregada de depressão e agorafóbia, ou seja, ela tinha medo de sair em espaços abertos ou no meio de uma multidão. Os avós levam as irmãs para passarem alguns meses na casa de campo e apenas assim finalmente Kate se curasse dessa sua fobia, desenvolvida pela morte dos pais.
Mas nem tudo está curado. Enquanto Georgia toca sua vida para frente, saindo todas as noites, fazendo amigos, sendo a garota extrovertida e popular que sempre foi... Kate vive em seu mundo da literatura, onde ninguém pode se machucar, onde todos têm seu “feliz para sempre”. Ela trancafiada em seu quarto, saindo apenas para pequenas caminhadas não muito longe até que um dia Georgia a desafia a sair em para tomar um pouco do “ar poluído” de Paris. Sem pensar muito a garota decide procurar seu próprio café (já que seu avô tinha o dele e sempre que as irmãs iam visitá-lo em Paris eram levadas para lá) para se sentar e ter um bom momento de leitura.
Kate finalmente descobre o seu local e apartir daí começa a freqüentar, sempre passa algumas horas lendo e fazendo alguns pedidos para não ser expulsa de lá pelo simples motivo de não consumo. As pessoas que freqüentam aquele local começam a se tornar conhecidos para a garota. Porém um dia um grupo de garotos franceses aparece por lá e chamam a atenção de Kate por sua beleza e seu ar perigoso, além do fato de que um deles não para de olhá-la.
Em mais uma noite de insônia Kate resolve dar uma caminhada com Georgia quando presencia uma cena nada agradável; de uma jovem garota tentando cometer suicídio. Ela estava prestes a se jogar da ponte e as meninas nada podiam fazer, pois estavam muito longe do local, não havia mais ninguém por perto para elas recorrerem, para gritarem que fizesse algo por aquela garota. Do anda, como se ouvisse suas preces, aparece um garoto e ele tenta fazê-la desistir daquele ato medonho, seu pedido fora em vão, a garota pula da mesma forma e o que assustou as irmãs ainda mais fora que o rapaz fez o mesmo. Kate fica ainda mais transtornada quando descobre que aquele era o garoto que não parara de olhá-la no café.
Este é apenas o primeiro momento estranho que entra na vida de Kate, o que ela não imaginava era que sua vida estava prestes a mudar e o mundo sobrenatural iria adentra fortemente nela.
Por diversas vezes ela volta ao cadê, mas nunca encontra o grupo de garotos novamente, porém em uma tarde de sábado ela tem está absorta em seu livro tendo um momento emocionante, como receio de que alguém estivesse vendo que ela estava prestes a chorar resolve espiar e comprovar que ninguém havia notado, porém seus olhos se deparam com Vincent o garoto que virá no café com seus amigos e também na ponte tentando salvar a menina suicida. Da mesma forma de antes ele não para de fitá-la e isto, daquela vez, a incomoda ela resolve ir embora, mas é justamente a sua saída rápida que faz com que Kate tenha seu primeiro contato com Vincent.
Junto com este primeiro contato aos poucos o rapaz começa a entrar em sua vida lhe trazendo um novo mundo, novos medos e um amor.

- # -

Se você gosta de romance sobrenatural então este é o livro certo para algumas horas de uma deliciosa leitura e no final, você, leitor, vai ficar com aquele mesmo gostinho que eu fiquei: quero mais!

https://lh5.googleusercontent.com/-WsKGy4SY_6k/U9RVySnP-BI/AAAAAAAAjTU/JHYo9CphCgo/s296/jessica1.png

0 comentários:

Postar um comentário

O blog Miih e o Mundo Literário agradece pelo comentário.