Resenha Dupla: As vantagens de ser invisível

| 0 comentários


Olá, boa noite!
Demorei mas consegui postar a resenha dupla de "As Vantagens de Ser Invisível". Irei falar primeiro do filme, e logo depois do livro. Já que assisti ele primeiro. Mas já posso ir adiantando que simplesmente amei a experiência que essas duas coisas preciosas me proporcionaram!
Não tem como errar, vale muito a pena os dois!



O FILME:

OMG! Foi a primeira expressão que tive quando terminei de assistir o filme. Porque quando você utiliza adolescentes; cada um com sua personalidade própria, sentimentos e turbulências emocionais diversas é sinônimo de um filme único. 
O personagem principal conseguiu receber todas as emoções do seu personagem descrito no livro; seus delírios, tristezas, alegrias, medos e sobretudo, suas loucuras. Geralmente, quando vejo personagens adolescentes complexos tenho medo de ser só mais um adolescente de olhar triste e boca aberta.
Além disso os amigos do Charlie são mágicos. Únicos. Inesquecíveis. Patrick é um cara que não tem medo de ser quem ele é. Tenta sempre mostrar a positividade. Entretanto, ele também tem seus temores. Já, Sam, não consegui definir uma personalidade para ela. Ela é amiga, companheira entende de música e já superou algumas coisas. O filme tem uma trilha sonora que deixa cada cena, cada sorriso, cada lágrima mais bela. Mais emocionante! (Preciso dessa Playlist).

Nem todo mundo tem uma história triste, Charlie, mesmo que tivesse, isso não é desculpe.

O LIVRO:

Título: As Vantagens de ser invisível
Autor: Stephen Chbosky
Editora: Rocco
Ano: ?
Páginas: 224
Saiba mais: SaraivaAmericanasSubmarino


A primeira coisa importante a ressaltar é que o livro é todo escrito por cartas. Charlie escreve seus dias, aventuras e problemas para um amigo (imaginário e/ou real).
Charlie é um garoto extremamente delicado, observador, detalhista e um pouco complexo; em todos os sentidos. O livro nos apresenta o primeiro ano escolar de Charlie no ensino médio; ele precisa superar o suicídio de seu melhor amigo, Michael, e a trágica morte de sua tia, Helen.

Ambos fatos mexeram muito com a personalidade e atitudes do garoto, sua vida passou a circular em torno desses acontecimentos. O que Charlie é hoje são reflexos desse seu passado. Nesse mais novo ano que se inicia ele precisa encontrar novos amigos, e não se preocupar tanto com seu passado. No decorrer dos dias ele se torna amigo do seu professor Bill, que apresenta ele a vários livros, fazendo com se questione sobre certas coisas e o incentive a conquistar seus sonhos.

Então, acho que somos quem somos por várias razões. E talvez nunca conheçamos a maior parte delas. Mas mesmo que não tenhamos o poder de escolher quem vamos ser, ainda podemos escolher aonde iremos a partir daqui.

Outras pessoas que trazem experiências, momentos e a sensação de ser infinito a vida de Charlie, são seus amigos Sam e Patrick. Eles não são o exemplo de pessoas perfeitas, ou o que a sociedade espera que eles sejam. Sam é uma garota que deixa aquela pequena dúvida no leitor, ela não tem um passado legal, o que faz com que ela seja por um lado uma pessoa maravilhosa; contudo, ela tem atitudes que deixam o leitor confuso, como por exemplo, algumas decisões que machucam a si mesma.


Já Patrick é o tipo de cara amigo, sensível, companheiro e extremamente atencioso. Ele é aquele amigo que faz todo mundo sorrir nos momentos que ninguém espera. Porém, nem toda alegria é verdadeira, e nem todas atitudes são reais.

Sam e Patrick são os responsáveis por trazerem um pouco de alegria e momentos novos a vida de Charlie. Experiências, momentos e amores fazem Charlie se sentir especial, se sentir Infinito! 
Todo o suspense que gira em torno de Charlie e seu passado faz com que o livro se torne ainda mais especial, um tanto diferente.

Então, esta é a minha vida. E quero que você saiba que sou feliz e triste ao mesmo tempo, e ainda estou tentando entender como posso ser assim

Considerações Finais: não tenho muito o que reclamar do livro e do filme em si. O livro tem seu encanto, sendo escrito em sua maioria em forma de carta, fazendo com que o leitor se sinta cativado a cada página. Sempre deixando aquele gosto de quero mais dessa leitura.
O filme teve mudanças notáveis? Uma cena que não era isso e não tinha aquilo? Sim, entretanto essas mudanças deixaram a história clara para aquele espectador que não leu o livro primeiro (eu). Depois que li, percebi que algumas cenas do filme foram "juntadas" com uma cena futura (no livro) e que deixou o filme sensacional.

Então, qual foi a sua opinião sobre o filme e o livro? Você gostou? Deixe sua opinião! Beijos!

0 comentários:

Postar um comentário

O blog Miih e o Mundo Literário agradece pelo comentário.