Resenha: A Casa da Poeira e dos Sonhos - Brenda Reid

| 0 comentários

A CASA DA POEIRA E DOS SONHOS

Livro Único

Autora: Brenda Reid | Editora: Lafonte

Uma casa em ruínas, o mundo em guerra... num pequeno vilarejo, tudo o que ela realmente precisava para viver. Um jovem diplomata inglês e sua esposa são transferidos para Atenas. Hugh adora o estilo de vida glamoroso da embaixada, mas sua esposa começa a ficar cansada da rotina de festas intermináveis e eventos sociais. Quando ele é enviado a Creta para resolver uma questão política, o casal muda para uma casa decadente, de propriedade da família dele. Evadne logo se apaixona pela ilha e pelos moradores locais e decide continuar lá mesmo depois que o marido retorna a Atenas. Enquanto tenta reformar a casa que está caindo aos pedaços, ela inicia uma sólida amizade com Anthi, uma moça do povoado, e com Christo, um jovem empreiteiro que se torna um parceiro na tarefa de recuperar a casa. Mas as nuvens escuras da guerra estão se aproximando, e a pacífica ilha vai se tornar palco de violência nos dias que virão. Sem nada a perder, todos acabam tomando novas atitudes em relação ao amor e à amizade como se aquela fosse a última oportunidade da vida deles.
=== Resenha ===

Desde que havia feito parceria com a editora Lafonte ainda não havia requisitado nenhum livro, por isto resolvi conferir o que a editora oferecia, acabei fazendo uma pequena lista dos desejados e mandei para eles, assim poderiam escolher o que me mandariam. Bem, um dos livros que havia na minha lista era A Casa da Poeira e dos Sonhos, quando eu vi esta capa linda fiquei encantada, por isto conferi a sinopse e apenas assim resolvi me aventurar neste livro de época.
Acho que o último livro que li de época foi o da Sylvia Day, ele não me agradou muito por várias razões, isto fez com que eu ficasse um pouco temerosa quanto a escolher este tipo de leitura novamente, então quanto A Casa da Poeira e dos Sonhos chegou em minhas mãos tentei não criar tanta expectativa com medo de não gostar da leitura e me decepcionar, mas felizmente me enganei, pois o livro é muito bom, a leitura é agradável e fácil. A escrita da autora é apaixonante, é impossivel não imaginar cada detalhe que ela apresenta aos seus leitores.

- # -

O casal Hugh e Evadne (Divina, como ela é chamada em Creta) vivem em Athenas, eles tem um estilo de vida cheia de luxo e pompa na embaixada, Hugh ama isto, mas Evadne é completamente ao contrário, ela prefere está em um ambiente mais simples ao redor de pessoas simples, pois assim não precisa representar um papel que tanto a incomoda. Este é o ponto chave para que a mulher ao chegar em Creta se apaixone imediatamente pela pequena ilha, assim como, crie fortes laças com seus habitantes.
No momento em que põe os pés em frente a casa onde morariam pelo tempo que fosse necessário para que Hugh pudesse resolver todos os problemas em volta do seu trabalho, Evadne se encanta com a casa velha, a qual precisa urgentemente de uma reforma. Diferente de seu marido ela ver a beleza no simples, no velho, mas ele só ver isto no luxo.
Ambos são tão diferentes, que durante a leitura me perguntei várias vezes como podiam ficar juntos, mas algumas cenas logo no começo me mostraram que mesmo o homem às vezes sendo chato ele amava verdadeiramente Evadne.
Enfim, um dia quando Divina está caminhando acaba caindo e machucando-se, o que a impossibilita de voltar para casa, por muito tempo ela pede ajuda em meio ao calor forte da ilha, mas ninguém a escuta até que por um milagre Anthi aparece para a socorrer e a partir deste momento que uma grande amizade se tem inicio.

- # -

O livro é bem interessante, principalmente quando Anthi surge, é neste momento em que as visões começam a intercalar entre a desta personagem e a de Evadne. A amizade delas é do tipo em que o leitor fica admirando e desejando uma igual, é verdadeiramente bonita. O final desta obra então... Nunca vi nada igual!

https://lh5.googleusercontent.com/-WsKGy4SY_6k/U9RVySnP-BI/AAAAAAAAjTU/JHYo9CphCgo/s296/jessica1.png

0 comentários:

Postar um comentário

O blog Miih e o Mundo Literário agradece pelo comentário.